Você perde dinheiro sem saber?

No momento que temos quase 14 milhões de brasileiros desempregados, parece contraditório o título e a foto desta publicação, mas a intenção é provocar e despertar sua atenção para um fato extremamente importante que é o “desperdício de dinheiro”.

Você está jogando “dinheiro no lixo”? Acredito que a grande maioria responderá que “NÃO” e que também ninguém joga dinheiro fora de forma consciente. O propósito desta publicação é justamente mostrar que existem duas possibilidades de jogar dinheiro no lixo de “forma inconsciente”.

Começaremos essa análise dividindo a população em dois grupos: adimplentes e inadimplentes.

ADIMPLENTES: você deve estar se perguntando como que uma pessoa que não tem conta em atraso e consequentemente não paga os juros exorbitantes cobrados no Brasil pode estar perdendo dinheiro? Reafirmo que você pode estar perdendo muito dinheiro e oportunidades, como veremos a seguir.

Se você não está inadimplente e possui recursos guardados, pode considerar-se um DIFERENCIADO em relação a grande parte da população brasileira. Agora se você além de não estar inadimplente, consegue aplicar os seus recursos de forma a maximizar os seus rendimentos de acordo com o seu perfil, considere-se um PRIVILEGIADO.

O fato de ter uma reserva financeira precisa despertar em você a necessidade de proteger o poder de compra do patrimônio conquistado e obter o maior retorno possível com seus rendimentos. É preciso analisar se suas reservas/investimentos estão gerando para você o melhor retorno possível de acordo com seu perfil e prazo para investimento. A maior parte dos brasileiros ainda escolhe a poupança como investimento e essa opção não é a mais rentável e vantajosa para o investidor. O dinheiro que o investidor deixa de ganhar com outra aplicação mais rentável vai todo mês para a lixeira e não para a conta do cliente. Você acredita que apenas no mês de março/2018 os brasileiros perderam quase R$ 2 BILHÕES ao optarem por investirem na caderneta de poupança?

A diferença de rendimentos que o investidor deixa de ganhar ao escolher investimentos menos rentáveis, faz com que ele precise de muito mais tempo para atingir seus objetivos, seja para comprar um carro, imóvel, fazer uma viagem internacional ou simplesmente passar a viver da renda dos seus investimentos.

Existem diversas alternativas de investimentos para todo perfil de público e com rentabilidades bem mais vantajosas. Aplicações que podem oferecer rendimento 241% superior à poupança, além de muitas outras possibilidades de diversificação de acordo com cada necessidade. É fundamental buscar o auxílio de profissionais especializados na área de investimento, como por exemplo o Agente Autônomo de Investimento.

O Agente Autônomo de Investimento pode lhe apresentar sugestões de investimentos de acordo com suas necessidades, visando sempre preservar o patrimônio conquistado e rentabilizá-lo da melhor forma possível de acordo com seu perfil de investidor e capacidade de investimento. É um trabalho de assessoria e acompanhamento permanente, sem custos para você. No final desta publicação, estão os meus contatos, caso tenha interesse em saber mais detalhes de como posso lhe ajudar.

INADIMPLENTES: atualmente no Brasil temos mais de 60 milhões de consumidores com uma ou mais contas em atraso. Além do prejuízo para toda a economia do país, pois são consumidores que ficam impedidos de tomar novos créditos para uma compra a prazo ou financiar algum bem, o maior prejudicado é o próprio consumidor que está inadimplente. Não entrarei no mérito das situações (imprevistos, problema de saúde, desemprego, recessão econômica, juros altos,…) que levam a inadimplência, mas o objetivo é mostrar a urgência necessária para sair desta situação.

Enquanto que a taxa SELIC, taxa básica de juros da economia no Brasil, vem sofrendo reduções desde outubro/2016 e está em 6,5% ao ano (menor taxa de juros da história do país), os juros cobrados do consumidor chegam aos incríveis 334,5% ao ano. Isso mesmo, você não leu errado, a taxa no rotativo do cartão de crédito é de 334,5% ao ano enquanto que a poupança não deve atingir 5% de rendimento em 2018 e temos uma inflação estimada em 3,49% para 2018.

Seguem algumas das principais taxas de juros cobradas no Brasil:

  • Rotativo do cartão de crédito: 334,5% ao ano
  • Cheque especial: 324,7% ao ano
  • Cartão de crédito parcelado: 151,2% ao ano
  • Crédito pessoal não-consignado: 122,8% ao ano
  • Crédito pessoal consignado: 27,5% ao ano
  • Compra de veículos: 24% ao ano
  • Financiamento imobiliário: 9,2% ao ano

Fonte: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/04/26/juro-do-cartao-banco-central-cheque-especial.htm

Agora que você já sabe sobre as altas taxas de juros cobradas no país, clique aqui e confira 10 passos que podem contribuir para eliminar suas dívidas até o final do ano!

CONCLUSÃO:

Se você não tem a “SORTE” de utilizar as malas da foto abaixo na sua próxima viagem, você precisa ser responsável e inteligente nas suas decisões financeiras.

O importante não é quanto você ganha, mas como destina os seus recursos para consumo e investimento. Se seus hábitos não forem modificados, dificilmente você atingirá resultados diferentes.

Todos nós sabemos o quanto é difícil ganharmos honestamente o nosso dinheiro e desta forma devemos tomar decisões inteligentes em relação ao consumo consciente e principalmente investir corretamente. Decisões corretas e equilibradas hoje em relação ao seu hábito de consumo e investimento farão toda a diferença no seu conforto, tranquilidade e segurança financeira amanhã.

Compartilhe

Fechar Menu